O que é literatura?

Descobrir, explorar, aprender… E criar novos mundos, novas realidades – o céu não é o limite para aquele que lê!

Embora tenhamos informações em excesso a cada vez que “surfamos” no mundo virtual, a literatura apresenta a crianças, jovens e adultos um horizonte infinito em histórias, romances, poemas, contos, e muito mais.

Mas… o que é mesmo literatura? A palavra literatura vem do latim “litteris” que significa “letra”, que também quer dizer “escritos, cartas” e parece referir-se, primordialmente, à palavra escrita ou impressa. Em latim, literatura significa uma instrução ou um conjunto de saberes ou habilidades de escrever e ler bem e se relaciona com as artes da gramática, da retórica e da poética. Segundo o crítico e historiador literário José Veríssimo, várias são as acepções do termo literatura: conjunto da produção intelectual humana escrita; conjunto de obras literárias; conjunto das obras sobre um dado assunto, ao que chamamos bibliografia de um assunto ou matéria; boas letras; e uma variedade de Arte, a arte literária.

Confira esse vídeo que aborda o tema literatura.

No Brasil, o movimento literário teve início já na época da Colonização. Principalmente representada pelo padre José de Anchieta, essa fase inicial foi chamada de Quinhentismo. O Padre José de Anchieta se destacou por seus  poemas, autos, sermões cartas e hinos. O objetivo principal dessa produção era a catequese dos índios. Confira aqui (http://www.suapesquisa.com/literaturabrasil/) uma síntese sobre todos os períodos literários pelos quais o Brasil passou, que foi influenciada por fatos como a chegada da família real ao Brasil e a Semana de Arte Moderna.

No final do século XVII foram escritos os primeiros livros destinados a crianças. No entanto, eles não podem ser ainda considerados literatura. Eles são escritos por professores e sua função consistia em ensinar valores, hábitos e ajudar a enfrentar a realidade social. Em outras palavras, eles propiciavam uma leitura utilitária, não uma leitura per se, como ocorre com a literatura. Nessa época, a criança era considerada um adulto em miniatura, que participava da vida adulta, inclusive tomando contato com sua literatura.

Foi somente no século XVIII que o conceito de criança começou a mudar. A criança passou a ser considerada como criança e um tipo específico de literatura foi desenvolvido para ela. Esse tipo de literatura foi denominada literatura infantil. Antes daquela época, as crianças da nobreza liam os grandes clássicos e as crianças das classes populares liam lendas e contos folclóricos. Com o passar do tempo, esses clássicos sofreram adaptações e os contos folclóricos inspiraram os contos de fadas. Vejamos alguns exemplos de autores e obras de literatura infantil:

Perrault: “Chapeuzinho Vermelho”, “A Bela Adormecida”, “O Barba Azul”, “O Gato de Botas”, “Pequeno Polegar”, etc.

Irmãos Grimm: “A gata borralheira” (que de tão famosa recebeu mais de 300 versões pelo mundo afora), “Branca de Neve”, “Os Músicos de Bremen”, “João e Maria”, etc.

Andersen: “O Patinho Feio”

Charles Dickens: “Oliver Twist”, “David Copperfield”

La Fontaine: “O Lobo e o Cordeiro”

Esopo: “A lebre e a tartaruga”, “O lobo e a cegonha”, “O leão apaixonado”

Extraído de: http://www.infoescola.com/literatura/literatura-infantil/

A literatura infantil chegou ao Brasil no final do século XIX. Carlos Jansen e Alberto Figueiredo Pimentel foram os primeiros brasileiros a se preocuparem com a literatura infantil no país. Com Thales de Andrade, em 1917, aliteratura infantil nacional teve início. Outras obras são as obras de Carlos Jansen (“Contos seletos das mil e uma noites”), Figueiredo Pimentel (“Contos da Carochinha”), Coelho Neto, Olavo Bilac e Tales de Andrade. E foi em 1921 que Monteiro Lobato estreou com “Narizinho Arrebitado”, apresentando ao mundo Emília, a mais moderna e encantadora fada humanizada (Extraído de http://www.sitedeliteratura.com/infantil.htm e http://www.infoescola.com/literatura/literatura-infantil/). Algumas de suas principais obras são Urupês, Sítio do Pica-pau Amarelo, Reinações de Narizinho, O Minotauro, Negrinha e Cidades Mortas. Confira abaixo vídeos do Sítio do Pica-pau Amarelo:

Outros famosos autores brasileiros de literatura infantil são Ziraldo com “O Menino Maluquinho”, “A bonequinha de pano”, “Este mundo é uma bola”. Há ainda Ana Maria Machado, com “A Grande Aventura de Maria Fumaça”, “A Velhinha Maluquete”, “O Natal de Manuel”. Muitas obras consideradas adultas foram adotadas pelo público infantil (“As aventuras de Robson Crusoé” – de Daniel Defoe, “Viagens de Gulliver” – de Jonathan Swift e “Platero e Eu” – de Juan Ramón Jiménez). Veja esse vídeo sobre o Menino Maluquinho:

Apesar de a literatura abrir portas e janelas para um universo fascinante de conhecimentos, curiosidades, modos diversos de ver o mundo, muitas crianças e jovens não se sentem motivadas a ler. Talvez isso seja um reflexo da leitura utilitária que por vezes se incentiva nas práticas pedagógicas escolares. Precisamos incentivar nos jovens a leitura prazerosa, em contraposição a uma pseudo-literatura que pretende “treinar” o aluno a responder um questionário a respeito da obra lida. Esse tipo de prática não desperta o gosto pela leitura, mas sim uma espécie de aversão a livros e literatura.

Na perspectiva de contribuir para formar uma sociedade leitora e também proficiente no ofício da escrita e, desse modo ainda mais competente na produção de textos diversos, originais, criativos – habilidade esta tão valorizada e socialmente imprescindível para uma inserção social digna nos diversos espaços produtivos, o Ministério da Educação executa o Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE). Por meio desse programa, obras de literatura infanto-juvenil são destinadas a bibliotecas de todas as escolas públicas do território nacional, em todas as etapas da educação básica. Para maiores informações sobre o PNBE, acesse a página em nosso blog INDICAÇÕES DE LIVROS.

Seja bem-vindo ao nosso blog, deixamos você com José Saramago, em “A Maior Flor do Mundo”.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 48 outros seguidores